Pastoral

Do livro dos Provérbios: “Há seis coisas que o Senhor detesta e uma sétima que ele não tolera: olhares altivos, língua mentirosa; mãos que matam inocentes; coração que faz planos criminosos; pés que correm apressados para o mal; falsas testemunhas que proferem mentiras; e aquele que provoca discórdias entre irmãos”. (Livro dos provérbios 6, 16-19) ...

Naquele tempo, os publicanos e os pecadores aproximavam-se todos de Jesus, para O ouvirem. Mas os fariseus e os escribas murmuravam entre si, dizendo: «Este homem acolhe os pecadores e come com eles». Jesus disse-lhes então a seguinte parábola: «Quem de vós, que possua cem ovelhas e tenha perdido uma delas, não deixa as outras noventa e nove no deserto, para ir à procura da que anda perdida, até a encontrar? Quando a encontra, põe-na alegremente aos ombros e, ao chegar a casa, chama os amigos e vizinhos e diz-lhes: "Alegrai-vos comigo, porque encontrei a minha ovelha perdida". Eu vos digo: Assim haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se arre- penda, do que por noventa e nove justos, que não precisam de arrependimento. Evangelho segundo São Lucas ...

“Cada um deve ser pronto para ouvir, mas lento para falar e lento para ficar com raiva, porque a raiva do homem não produz a justiça que Deus quer. Sede praticantes da Palavra e não apenas ouvintes. Quem ouve a Palavra e não a pratica, é como alguém que observa o seu rosto num espelho: observa-se a si mesmo e depois vai-se embora, esquecendo a própria aparência.” Faz-me, Senhor, ser pronto para ouvir...

Os dias de sol são bem mais alegres do que os dias de temporal. A vida será mais agradável quando encarada com otimismo. Por isso, Canto à manhã, que viu a minha juventude, E ao sol, que dia a dia nos traz nova inquietude. Canto à minha mãe, que deu vida ao meu ser, Canto à terra, que me viu nascer. E canto ao dia em que senti o amor, Andando pela vida, aprendi esta canção. E algumas vozes amigas brindam-nos com estas estrofes: Canto à flor do campo, canto ao vento, canto ao mar, Canto à luz que morre no trigal, Canto ao amor sincero, canto ao fogo do lar Canto à verdadeira liberdade. Canto aos verdes prados, canto ao ar, canto ao sol. Canto ao azul do céu e ao amor. Canto à gente humilde, que me olha sem rancor, Canto à paz do mundo, canto a Deus....

Bom dia. Pedimos a um grupo de estudantes que escrevessem uma lista do que eles pensavam ser "As sete maravilhas do Mundo" dos nossos dias. Houve algumas diferenças mas seguem as respostas que tiveram mais de votos: - As grandes pirâmides do Egipto - O Taj Mahal - O Grande Canyon - O Canal de Panamá - O Empire State Building - A Basílica de São Pedro - A Grande Muralha da China Enquanto se contavam os votos, a professora nota que um estudante ainda não tinha entregue o seu papel. Então ela pergunta ao jovem se estava a ter dificuldades em fazer a sua lista. - Sim, um pouco. É difícil de escolher porque existem tantas! - Diz o que tu já escreveste e talvez te possa ajudar. O jovem hesitou mas depois disse: - Eu penso que as Sete Maravilhas do Mundo são: Ver, Ouvir, Tocar, Provar, Sentir, Rir, Amar Toda a turma ficou em silêncio absoluto. Estas coisas são de tal maneira simples e corri- queiras que nos esquecemos até que ponto são maravilhosas!...

Disse Jesus aos seus discípulos: «Ouvistes o que foi dito: 'Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo'. Eu, porém, digo-vos: Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem, para serdes filhos do vosso Pai que está nos Céus; pois Ele faz nascer o sol sobre bons e maus e chover sobre justos e injustos. Se amardes aqueles que vos amam, que recompensa tereis? E se saudardes apenas os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Portanto, sede perfeitos, como o vosso Pai celeste é perfeito». Evangelho de Mateus (5,43-48) ...

Lemos, frequentemente, no exterior de um hospital um letreiro sugestivo: “Silêncio, por favor!”. Coloca-se o letreiro para não incomodar os que estão ali, e penso como são importantes momentos de silêncio na vida. O homem moderno tem dificuldade em criar silêncio à sua volta, e já não suporta o silêncio interior. Mas o homem de hoje necessita de momentos de silêncio onde possa refugiar-se do ruído que lhe impede o seu próprio conhecimento. Façamos uns segundos de silêncio e aproveitemos para olhar para dentro de nós. Perceber como nos sentimos e como nos dispomos a viver mais este dia que começamos. ...

Um pobre camponês que regressava do mercado a altas horas da noite, percebeu que não levava consigo o seu livro de orações. Então, pensou em rezar da seguinte maneira: - Cometi uma verdadeira estupidez, Senhor. Saí de casa esta manhã sem o meu livro de oração e como tenho pouca memória, agora, não sou capaz de rezar nem sequer uma oração. De maneira que vou fazer uma coisa: vou rezar cinco vezes o alfabeto muito devagar, e tu, que conheces todas as orações, podes juntar as letras e formar essas orações que eu sou incapaz de recordar. E o Senhor disse aos seus anjos: - De todas as orações que escutei hoje, esta foi, sem dúvida, a melhor, porque brotou de um coração simples e sincero. ...

Há alguns anos, conheceu-se e difundiu-se uma canção que tinha este título “Vivo cantando”. Está certo, porque a vida tem que ser um canto, assim como o canto deve ter vida. Sendo assim, cada um de nós escolhe o tom da canção da sua vida: o tom triste, ou o tom maior da alegria. Os que escolhem o tom lúgubre do queixume: “O mundo está mal!”, “Vamos de mal a pior!”, “Onde iremos parar!”, estão a difundir à sua volta o pessimismo, o derrotismo. É preciso preferir o sustenido ao bemol: a alegria, o entusiasmo, a fé, a esperança. Devemos viver a cantar, espalhando à nossa volta as notas do pintassilgo e não o chilrear dos pardais. Dissipando sombras e não amontoando nuvens. Projetando fachos de luz e não mergulhando nas trevas. De facto, deve ser muito triste caminhar nas trevas, sem saber onde estamos ou para onde vamos. ...