Caminho 2020

Caminho 2020

Neste ano, a frase que já é habitual nas reflexões do Caminho, tem que sofrer uma pequenina alteração. Este ano, infelizmente, temos que dizer “Mais um ano, menos um Caminho”. Esta é a verdade, neste ano o nosso tão querido Caminho tem que ser adiado por mais 365 dias. Neste julho aquela fantástica de união, amizade, e entrega vai ser menos mágica.

Neste ano temos que nos “reencontrar à distância”, este ano, os abraços, os carinhos, as brincadeiras e até mesmo as fotos terão que ficar para o próximo ano. Este ano não vamos acordar com as tão habituais palmas/chineladas do professor Filipe, bem como a sua “doce” voz, não vamos contar com as guitarradas do professor Sérgio que está sempre disposto a acompanhar-nos e a juntar-se a nós nas nossas maluqueiras, músicas ou cantos, também não iremos contar com as reflexões do professor Plácido, das piadas do professor Fábio, as brincadeiras do professor Fernando e até o apoio do professor António, o nosso tão querido embraiagens, vai ter que ficar encostado com a sua fiel companheira, a carrinha à espera do próximo ano. No que toca aos professores de Cascais vamos sentir a falta dos alongamentos dolorosos da professora Catarina, da preguiça do professor David, da voz “muito afinada” do professor/padre Luís, dos curativos da Telma, das histórias da Clara e até da professora Marina a cantar o maravilhas. Agora a parte que nos toca mais, sabemos que não são só as palmas que nos vão fazer falta… Os banhos de água fria, as noites pouco e/ou mal dormidas, as dores nas pernas e as bolhas nos pés, vamos estranhar a sua falta. Também não nos podemos esquecer das nossa tão queridas tarefas, a limpeza dos pavilhões e das respetivas casas-de-banho, o carregar a carrinha, fazer o pequeno-almoço, todas essas tarefas que servem para tornar o nosso “pequeno” grupo de cerca de 200 pessoas ainda mais coeso. Temos que confessar que até disso vamos sentir falta!

 

Enfim, este ano só nos resta olhar para a luz terna e suave no meio da noite e contar as estrelas no céu e saber que ao dar mais, eu aprendiz de viajante e todos vocês iguais a mim vamos chegar onde Deus nos levar.

 

Vicente Castela