Oração da Manhã: 12 de setembro de 2016

Certo homem, ao partir para uma terra distante, chamou os servos e confiou- lhes os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e a outro um, a cada qual conforme a sua capacidade. Depois partiu.
Aquele que recebeu cinco talentos pôs a render os cinco talentos que recebeu e conseguiu ganhar outros cinco. Da mesma forma, aquele que recebeu dois talentos ganhou outros dois. Mas aquele que apenas recebeu um foi fazer um buraco na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.
Passado muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e pediu-lhes contas. Aquele que tinha recebido cinco talentos aproximou-se e entregou-lhe outros cinco, dizendo: ‘Senhor, confiaste-me cinco talentos; aqui estão outros cinco que eu ganhei.’ O senhor disse-lhe: ‘Muito bem, servo bom e fiel, foste fiel em coisas de pouca monta, muito te confiarei.’
Veio, em seguida, o que tinha recebido dois talentos: ‘Senhor, disse ele, confiaste-me dois talentos; aqui estão outros dois que eu ganhei. ‘O senhor disse-lhe: ‘Muito bem, servo bom e fiel, foste fiel em coisas de pouca monta, muito te confiarei.’
Veio, finalmente, o que tinha recebido um só talento: ‘Senhor, disse ele, sempre te conheci como homem duro, por isso, com medo, fui esconder o teu talento na terra. Aqui está o que te pertence.’ O senhor respondeu-lhe: ‘Servo mau e preguiçoso!

(Evangelho de Lucas 19,12-27)

Senhor, no início de mais um ano, que eu ponha a render as minhas capacidades no máximo das minhas possibilidades. Que nem o medo nem a preguiça me levem a enterrar os talentos que me deste. Concede-me o dom da perseverança e o dom a humildade para recomeçar todas as vezes que for necessário.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print